Fundamentos

Sintomas de autismo? Conheça os sinais do espectro

Os sinais de autismo podem aparecer logo nos primeiros meses de vida de um bebê. Por isso, é importante que os pais ...


Os sinais de autismo podem aparecer logo nos primeiros meses de vida de um bebê. Por isso, é importante que os pais estejam sempre atentos aos marcos do desenvolvimento infantil e visitem regularmente o pediatra para que ele que protocolos que vão avaliar atrasos no desenvolvimento ou risco para autismo, assim em caso de suspeita do Transtorno do Espectro do Autismo (TEA), podem iniciar as intervenções o quanto antes. 

A suspeita de autismo também pode partir de outros membros da família, amigos e até de professores da criança. Estar atento ao comportamento é fundamental porque assim é possível buscar a ajuda adequada.

A seguir, você vai conhecer mais sobre os sinais do TEA e informações importantes que vão te ajudar a entender mais sobre o espectro.

Sintomas de autismo ou sinais? Qual a forma correta?

Embora muitas pessoas usem o termo “sintomas de autismo”, a forma mais utilizada de se referir às características apresentadas por quem está no espectro é ‘sinais’. 

Isso porque o autismo não é uma doença. Ele é um transtorno do neurodesenvolvimento que muda a forma como autistas compreendem e interagem com o mundo. 

Sinais de autismo em crianças

O diagnóstico de autismo é fechado por um médico (pediatra, neuropediatra ou psiquiatra). Mas o ideal é que um bom profissional coleta informações das avaliações da equipe multidisciplinar para redigir o laudo concluindo que aquela pessoa apresenta comportamentos que compõem a chamada Díade do Autismo:

  1. Dificuldades na interação e comunicação social 
  2. Padrões de comportamento restritos e repetitivos

E que essas dificuldades prejudicam o melhor desenvolvimento de uma vida autônoma e a pessoa precisa de suporte para conseguir realizar algumas demandas e atividades da vida diária. 

A partir de agora, vamos falar um pouco sobre alguns sinais que fazem parte da díade do TEA.

Dificuldade na interação social 

  • A criança que não olha nos olhos: ou que evita esse tipo de ação mesmo quando uma pessoa está bem próxima e fala com ela. Muitas mães percebem esse sinal no momento da amamentação.
  • A criança está rindo ou gargalhando em situações inadequadas: como batizado, casamento ou velório.
  • Ela apresenta resistência ao toque: como abraços e beijos. Isso acontece, porque muitos autistas têm hiper e hipossensibilidade, e o toque gera desconforto, mas eles são sim, capazes de demonstrar afeto à sua maneira. 
  • A criança comumente se isola: ao invés de brincar com as demais, fica sempre repetindo as mesmas atitudes e brincando com os mesmos brinquedos.
  • A criança tem predileção por objetos que causam indiferença à maioria e brinca com eles ou com brinquedos de forma não usual. Exemplo: virar o carrinho de ponta cabeça e ficar girando as rodinhas.

Dificuldade de comunicação

A dificuldade na comunicação normalmente é um dos primeiros sinais de atraso no desenvolvimento que levam à suspeita de autismo. Mais notável quando a criança completa 2 anos. Alguns comportamentos mais comuns são:  

  • Apresentar dificuldade para falar de forma correta: ou tem dificuldade para se expressar usando palavras.
  • Apresentar repetições comuns: ou seja, falar com certa frequência as frases que ouve em desenhos ou filmes e que não tem contexto com a comunicação estabelecida no momento. Esse comportamento é chamado de ecolalia.

Padrões de comportamentos restritos e repetitivos

    • A criança tende a ficar repetindo movimentações, seja com o corpo ou com a fala. Exemplos disso são ficar estalando o dedo, abanando as mãos ou balançando o corpo.
    • Repetir palavras ou frases que elas ouvem. 
    • Preferir sempre o mesmo objeto ou brinquedo para brincar.
  • Padrão de rotina:  rigidez de comportamentos de forma que a criança tende a fazer tudo na mesma ordem.

Sinais de autismo em adolescentes e adultos

Hoje em dia não é mais incomum que adolescentes e até mesmo pessoas adultas sejam diagnosticadas com autismo. Isso porque a maioria delas está dentro do que chamamos de autismo nível 1, quando há menos necessidade de suporte comparado aos outros graus de autismo.

Nesses casos, são frequentes os relatos de que essas pessoas tiveram uma infância complicada, na qual sofreram bullying e sempre se sentiram diferentes de outras pessoas com quem conviviam e com dificuldades na interação. Outros sinais de autismo em adolescentes e adultos são:

  •  Ter dificuldade em entender e lidar com as chamadas “regras sociais”.
  • Dificuldade em perceber e entender expressões faciais e sinais não verbais (entrelinhas).
  • Apego a rotina e dificuldade em lidar com mudanças.
  • Se isolar com frequência e evitar se expor a situações onde vai encontrar com muitas pessoas, como festas e passeios em locais lotados. 
  • Apesar da depressão e da ansiedade não serem sinais de autismo em adolescentes e adultos, eles podem desenvolver esses transtornos, principalmente porque a falta de diagnóstico faz com que se sintam incompreendidos e julgados. 

Sinais de autismo em bebês

Especialistas afirmam que os sinais de autismo podem surgir nos primeiros 18 meses de vida do bebê. E embora alguns deles passem despercebidos, outros podem ser mais evidentes. Veja abaixo os principais sinais de autismo em bebês: 

  • Ausência de sorriso social, ou seja, sorrir quando alguém se aproxima.
  • Falta de contato visual (normalmente notado pela mãe no momento da amamentação).
  • Ausência de choro ou muito choro.
  • À medida que cresce, o bebê não segue visualmente objetos e nem consegue imitar atitudes ou gestos. 

Veja outros sinais de atraso no desenvolvimento infantil

Sinais de autismo em crianças de 2 anos

Os sinais de autismo em crianças com 2 anos são parecidos com os já citados anteriormente, mas muitas vezes é nesta idade que os pais começam a se preocupar mais, especialmente com relação à fala. Alguns deles são: 

  • Apresentar comportamentos desafiadores, muitas vezes classificados pelos pais como crises.
  • Não desenvolver comunicação verbal.
  • Parecer não ter noção do perigo.
  • Não demonstrar sentir dor ao cair ou se machucar.

Vale ressaltar ainda que, nesta idade, muitas crianças já estão na escola. Por isso, manter contato com os professores é essencial para que os pais consigam entender se o comportamento dela é diferente das outras crianças e procurar ajuda. 

Quais são os sinais de autismo leve?

Embora essa nomenclatura não seja considerada a mais adequada, muitas pessoas se referem aos autistas diagnosticados com nível 1 como autismo leve. Nesses casos, a pessoa precisa de menos suporte do que nos níveis anteriores. Alguns dos principais sinais de autismo leve são:

  • Dificuldade em lidar com regras impostas.
  • Dificuldade em lidar com mudanças na rotina. 
  • Inflexibilidade.
  • Dificuldade de interagir socialmente.
  • Dificuldade em entender figuras de linguagem, como metáforas
  • Dificuldade em compreender expressões faciais. 

Como é feito o tratamento?

Por não ser feito por meio de exames, o diagnóstico de autismo muitas vezes pode demorar a ser concluído. Por isso, os profissionais indicam que o tratamento por meio da intervenção precoce seja iniciado o quanto antes.

Esse tratamento deve ser feito por uma equipe multidisciplinar, normalmente formada por psicólogo, terapeuta ocupacional, fonoaudiólogo e outros profissionais com especialização que ajudarão a pessoa com autismo em seu desenvolvimento. 

Aqui na Genial Care, cuidamos de quem cuida de filho com TEA. Isso porque ao estar bem, você consegue cudar bem melhor dele. 

Dúvidas frequentes sobre os sinais de autismo

Como posso saber se meu filho tem autismo?

Se você nota que seu filho tem características que parecem diferentes das de outras crianças com quem teve contato e que podem ser sinais de atraso no desenvolvimento, converse com o pediatra e outros profissionais, como neuropediatra para investigar as suspeitas. É importante lembrar que, mesmo com as suspeitas, esse diagnóstico só pode partir de uma equipe multidisciplinar. 

Quando suspeitar de autismo?

Muitos pais começam a suspeitar de autismo quando a criança parece ter atrasos e não se desenvolver de acordo com os marcos do desenvolvimento adequados. Alguns exemplos disso são: não desenvolver a fala até os dois anos, não fazer contato visual, não responder ao ser chamada pelo nome etc.

O que pode ser confundido com autismo?

Muitas das características do autismo podem ser confundidas também com outros transtornos como o Transtorno de Déficit de Atenção (TDA),  Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), Deficiência Intelectual (D.I.) e Transtorno Opositivo Desafiador (TOD).

Como identificar o autismo em crianças de 2 anos?

O atraso na fala é um dos primeiros sinais que fazem os pais suspeitarem do desenvolvimento da criança de 2 anos. Outro sinal bastante comum é o fato da criança usar a mão de outra pessoa para pedir coisas e apontar, invés da própria mão. 

Meu filho não fala, é autismo?

A pergunta: “Meu filho não fala, é autismo?” é mais comum do que se imagina. Apesar disso, o atraso na fala não pode ser considerado como único sinal para concluir o diagnóstico de TEA, mas é um sinal de atraso no desenvolvimento que muitas vezes é o ponto de partida para buscar ajuda especializada. 

Você pode se interessar também

Receba novos conteúdos por email

Enviamos semanalmente novas edições da nossa newsletter, com conteúdos científicos sempre atualizados para você e sua família.