Fundamentos

O que é o autismo ou TEA?

O Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) é uma condição ligada ao neurodesenvolvimento e não uma doença.


O Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) é uma condição ligada ao neurodesenvolvimento e não uma doença.

Se você tem notado atrasos no desenvolvimento infantil do seu filho com idade inferior a 6 anos ou tem percebido comportamentos atípicos nele, antes de tirar conclusões precipitadas é importante entender alguns pontos importantes como:

  • O que é autismo
  • Quais os sinais do TEA
  • Diagnóstico
  • Intervenção (t​​erapias e atendimentos com profissionais para que a criança/ pessoa no espectro se desenvolva)
Fique por dentro de tudo sobre o autismo neste post da Genial Care. Vale lembrar que as informações a seguir não dispensam a consulta de um médico especialista para o diagnóstico de autismo.

O que é autismo

O autismo atualmente é chamado de Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). Ou seja, é um transtorno do neurodesenvolvimento.

As características mais comuns são dificuldades em manter uma conexão com outra pessoa (seja pelo olhar ou fala), a presença de movimentos repetitivos e o interesse por um tema ou objeto específico.

Um dos manuais responsáveis pela definição de autismo é o DSM-5 (Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais - 5ª edição) da Associação Americana de Psiquiatria. Nele, a pessoa pode ser diagnosticada com:

  • Autismo nível 1: que muitas pessoas vão conhecer como autismo leve. Neste nível, o suporte necessário é menos substancial.
  • Autismo nível 2: conhecido como autismo moderado. Exige nível moderado de suporte.
  • Autismo nível 3: muitas vezes chamado também de autismo grave. Nesse nível, a necessidade de suporte é considerada mais substancial do que nos outros.

Vale lembrar que esses graus de autismo são realizados com base no nível de suporte que a pessoa precisa para determinadas ações de desenvolvimento. E que até a 4ª edição, o TEA fazia parte dos Transtornos Globais do Desenvolvimento (TGD) e suas definições eram diferentes como, por exemplo, a Síndrome de Asperger, autismo clássico e autismo infantil.

Autismo e outros transtornos de comportamento

Em alguns casos, o Transtorno do Espectro do Autismo vem associado a alguma outra condição como:

  • Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH)
  • Transtorno de Déficit de Atenção (TDA)
  • Deficiência intelectual
  • Epilepsia

O que é conhecido como comorbidades na área médica. Isso significa que as intervenções precisam levar em consideração também essas condições para serem efetivas.

O que causa o Autismo?

O autismo é um transtorno comportamental e seus primeiros sinais podem surgir no início do período de desenvolvimento da criança (primeira infância). Essas características mudam a maneira como ela enxerga o mundo e interage com os outros.

Como autismo não é doença, não é possível identificá-lo durante os exames do pré-natal e nem em ultrassonografias. Porém, muitos estudos já publicados entendem que alguns fatores podem contribuir para a condição, como:

  • Idade avançada da mãe
  • Exposição a drogas durante a gravidez
  • Fatores genéticos
  • Hereditariedade
Entre outros fatores

Sinais de autismo

  • Atraso na fala entre outros sinais de atraso no desenvolvimento infantil
  • Dificuldade em interagir com as pessoas a sua volta
  • Até 1 ano e meio, a criança com autismo não costuma fazer contato visual com seus pais, cuidadores e demais pessoas
  • Postura caída
  • Padrões restritivos e repetitivos, como só brincar com certos brinquedos (em alguns casos, determinados objetos que a criança gosta de brincar, mas que não são brinquedos em si)
  • Excesso de foco em alguns objetos
  • Interesse apenas por temas específicos
  • Repetir automaticamente uma frase ou palavra que ouviu sem nenhum contexto de comunicação
  • Fazer determinados movimentos corporais repetidamente e excessivamente

Entre outros sinais que, em conjunto, precisam ser observados pelos pais e informados ao pediatra para que haja uma intervenção precoce o mais rápido possível

Como é realizado o diagnóstico do autismo?

Só quem pode dar diagnóstico deTEA é um médico com apoio de toda uma equipe multidisciplinar de profissionais de saúde que costuma ser composta por:

  • Neuropediatra (neurologista infantil)
  • Neurologista
  • Neuropsicólogo
  • Psiquiatra infantil
  • Psicólogo
  • Fonoaudiólogo
  • Terapeuta ocupacional

Como não há exames, por não se tratar de uma doença, a equipe médica precisa identificar o Transtorno do Espectro do Autismo por meio de sinais de autismo que são observados, testes e entrevistas com as famílias.

É importante destacar que os testes para autismo que você encontra na internet não servem para diagnosticar ninguém. E os médicos fazem testes para diagnósticos com base na ciência e análises clínicas, seguindo protocolos validados.

Em relação à intervenção, ela pode ser realizada antes mesmo que a equipe multidisciplinar faça o diagnóstico de TEA, e muitas vezes isso é indicado.

Isso porque uma criança com autismo pode se desenvolver e aprender como qualquer outra criança, porém é necessário que ela seja estimulada de maneira correta e com estratégias que fazem sentido.

Como se preparar para a consulta médica?

Assim como você não esconde nada sobre o seu filho nas consultas com o pediatra, o mesmo deve ser feito quando você acredita que há sinais de TEA e você a leva ao neuropediatra ou neurologista infantil.

Confira o que os pais ou cuidadores devem fazer antes de ir ao médico para aproveitar ao máximo a primeira consulta e todas as outras:

  • Anote todos os comportamentos da criança que você entende como incomuns colocando data, tempo de duração e frequência e leve para a primeira consulta com o neuropediatra
  • Leve documentos que possam agregar aos seus relatos como, por exemplo, relatórios do colégio do seu filho e até mesmo registros em vídeos do que você acha que são sinais de autismo
  • Para não esquecer nada, é importante também levar todas as suas dúvidas em relação aos comportamentos do seu filho e sobre o TEA por escrito
  • Não deixe de esclarecer suas dúvidas mesmo que possa parecer algo óbvio ou que você considere sem importância

Dia Mundial de Conscientização do Autismo: 2 de abril

A data comemorativa criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) existe desde 2007 para lembrar ao poder público e a sociedade em geral os desafios que as famílias que convivem com o autismo enfrentam.

E principalmente conscientizar sobre o Transtorno do Espectro do Autismo TEA), que é uma condição ligada ao neurodesenvolvimento, e acabar com preconceitos e desinformações.

Dia do Orgulho Autista: 18 de junho

É uma data comemorativa criada pelos próprios autistas para todos que fazem parte do espectro (TEA).

A primeira edição do Dia do Orgulho Autista ocorreu em 2005, organizada pela Aspies for Freedom (Aspie é uma forma como muitos autistas se denominam, e é uma nomenclatura derivada de “Asperger”, da Síndrome de Asperger), dos Estados Unidos, com o objetivo de fortalecer o movimento da neurodiversidade e esclarecer a sociedade que o Transtorno do Espectro do Autismo não é uma doença e sim uma condição.

Números e informações sobre autismo no Brasil e no mundo

  • Brasil: há 2 milhões de autistas no Brasil de acordo com os últimos dados divulgados pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que não são tão recentes assim. Então a estimativa atual é de 4 milhões. E de acordo com o Center of Diseases Control and Prevention (CDC),1 em cada 110 brasileiros está no TEA.
  • EUA: a estimativa é que 1 americano em cada 54 tenha autismo, também segundo o CDC
  • Mundo: 70 milhões de pessoas com autismo em todo o planeta conforme últimos dados divulgados pela OMS

Autismo: Dúvidas frequentes

Quais os sinais de autismo?

  • Sinais de atraso no desenvolvimento infantil inclusive na fala e comunicação como um todo
  • Dificuldade de interagir socialmente(não olha nos olhos, não faz amigos, etc.)
  • Criança se interessa excessivamente por um brinquedo ou outro, gostar de apenas um ou dois personagens, ser extremamente restritivo com comida etc.
  • Fazer movimentos repetitivos com alta frequência e ter sempre a postura caída


Quais são as características do autismo leve?

O autismo nível 1, popularmente conhecido como autismo leve, é o grau de TEA com menor dependência do apoio dos pais quando comparado aos outros (nível 2 e 3).
Os principais sinais de autismo nível 1 são dificuldades de socialização e comunicação, além de comportamentos repetitivos e restritivos.

Como saber se o seu filho tem autismo?

Consultar um neuropediatra ou psiquiatra infantil é o melhor a fazer. Mas, antes observe se ele tem:

  • Atraso no desenvolvimento infantil
  • Dificuldade de se comunicar e se relacionar
  • Interesses extremamente restritivos
  • Faz movimentos repetitivos com o corpo

Você pode se interessar também

Receba novos conteúdos por email

Enviamos semanalmente novas edições da nossa newsletter, com conteúdos científicos sempre atualizados para você e sua família.